PINTORES COM A BOCA E OS PÉS

O NATAL ESTÁ CHEGANDO

Os "Pintores com a Boca e os Pés" têm uma reputação estabelecida pela criatividade tanto com o público como com o mundo da arte, através de exposições das pinturas de seus associados e da reprodução de seus originais como cartões de natal e uma variedade de outros produtos.
Essas coleções mostram uma lição de vida, sendo motivo de inspiração para muitas pessoas.

Veja uma pequena amostra da coleção Natal/2004

SAIBA MAIS SOBRE A ASSOCIAÇÃO

A "Associação dos Pintores com a Boca e os Pés", fundada em 1956, por Erich Stegmann, tem garantido, por mais de 45 anos, uma vida independente para artistas que não têm o uso de suas mãos.

Todos os membros dessa sociedade internacional são incapacitados de pintar usando suas mãos, e todos são beneficiados com a satisfação em poder ganhar seu próprio sustento, independente de caridade.

Uma vez que se tornam "membros" (sócios), seu trabalho deve ser de um padrão que possa competir em estética e base comercial com os trabalhos de artistas convencionais. Uma vez aceitos como membros, é garantida a eles uma renda substancial por toda a vida, mesmo se forem incapacitados de continuar a pintar. Isso é conseguido através da renda derivada da venda de seus trabalhos como: cartões, calendários e outros.

Independência, Amor e Arte

Os artistas associados recusam caridade, preferindo reter seu respeito próprio competindo em termos iguais com artistas normais; eles fazem de tudo para assegurar que sua Associação seja entendida como um trabalho, um negócio, e que não seja confundida com entidades filantrópicas, colorindo assim a apreciação pela sua arte por sentimento.

A renda das vendas também provê bolsas para pintores com a boca ou com os pés, que primeiramente não podem atingir os padrões exigidos de um "membro", assim suas habilidades podem ser desenvolvidas e encorajadas. Além disso, subvenções são feitas para equipamentos especiais e tratamento em algumas circunstâncias.

Mais de 500 Membros em Mais de 60 países

A Associação conta com mais de 500 membros em mais de 60 países, e não faz distinção alguma entre nacionalidade, raça e crença. Atualmente, há 22 pintores no Brasil, e a Associação procura ativamente por novos estudantes e membros.

Essa cooperativa mundial única é gerenciada e administrada sob o controle e supervisão de seus membros, todos artistas sem o uso de suas mãos.

O sucesso das vendas de seus produtos num mercado altamente competitivo, ajuda a assegurar aos artistas um estilo de vida independente que realça a atividade do seu trabalho criativo, livre de preocupação financeira. Para esse fim, os artistas possuem sua própria empresa de edição, ou indicam editores para produzir, distribuir e vender os produtos característicos de seu trabalho.

Eles também têm especialistas financeiros e legais para cuidar de seus assuntos, e têm sido bem sucedidos em manter os custos de administração abaixo de 7% da renda das vendas.

Para serem reproduzidos, os trabalhos são inteiramente selecionados com base no potencial de vendas artístico, e não nas necessidades dos artistas a fim de contribuir com a renda da sociedade em qualquer ano.

Opinião do Dr. Richard Hiepe, um eminente historiador da arte, sobre a APBP

"Essa Associação se classifica entre uma das mais audaciosas aventuras sociais do nosso tempo. Não muito tempo atrás, tais pintores eram meramente ditos como maravilhas raras ou como exemplos singulares de suas próprias conquistas heróicas. Só recentemente, e com as atividades da 'Associação dos Pintores com a Boca e os Pés' e seu trabalho, é que isso se tornou um conceito geral."

"Um tem que suportar o caminho que conduz para suas criações – a aflição física e emocional pela qual eles se levantam. Geralmente a perda das mãos não é o único infortúnio: doença e sofrimento freqüentes pelos quais o mundo saudável tem apenas um conceito, constantemente acompanham sua existência.
O trabalho artístico é uma liberação para aqueles que são tão aflitos. Pela virtude do seu trabalho, os artistas se tornam seres novos e integrados…"

Saiba mais sobre o fundador da APBP

Erich perdeu, aos dois anos de idade, o uso de suas mãos e braços em decorrência de uma paralisia infantil, mas mesmo assim, desde cedo os seus professores reconheceram e estimularam o seu grande talento para a arte. Ele desenhava em pedra, fazia esculturas, gravava em madeiras e dominava técnicas de pintura tanto em óleo, quanto em aquarela, e para realizar tudo isso utilizava as ferramentas somente com a boca.

Este artista, que também nasceu com um excelente tino para os negócios, vendia reproduções gráficas de seus trabalhos desde 1932, em sua própria editora. Com o tempo ele buscou contato com outros artistas, que assim como ele, pintavam utilizando a boca e os pés e entre 1953-1954 organizou o "Lodge of Mouth and Foot Painting Artists", que seria algo como escritório dos artistas pintores com a boca e os pés, e tratava dos interesses destes artistas. A partir disso surgiu, em 1956, a "Associação dos Pintores com a Boca e os Pés", em que foi eleito como primeiro presidente, cargo que ocupou até o seu falecimento em 1984.

Erich estudou em várias e importantes escolas de arte, inclusive na Itália. Foi membro da "União dos Artistas Plásticos de Munich" e da "International Arts Guide de Monte Carlo". Nestas duas instituições existem exposições permanentes dos seus trabalhos.

GALERIA DOS PINTORES


Gonçalo A. Pinto Borges

Juracir Batista Oliveira

Moacir Ferraz

Maria de Lourdes Alesse

Rose Mary Orth

Claudette Corpo

Clênio Ventura

José Henrique Taveira Breda

Eusuclemia Rufino Vieira

Paulo César Duarte

Pituco Waiâpi

Eliana Zagui

Fernando Fernandes dos Reis

Maria Aparecida Falleiros

Jadir Raymundo

Simony Garcia

Etedsued Pereira Carvalho

José Marcos dos Santos

Daniela Caburro

Jefferson Luís Hoffmann

Marcelo Cunha

Antonio João Estanislau Filho

Pesquisa no site: http://www.apbp.com.br

Qual a sua opinião sobre esta matéria?
Envie suas críticas e sugestões

Clique aqui

Deseja enviar esta página para um
"Velho Amigo"?

Clique Aqui