19 DE ABRIL - DIA DO ÍNDIO

"Um provérbio indígena questiona se somente quando for cortada a última árvore, pescado o último peixe, poluído o último rio,
é que as pessoas vão perceber que não podem comer dinheiro."

Índios Bororó de São Lourenço - 1914
Foto: Major Luiz Thomaz Reis (Museu do Índio)

NOSSOS ÍNDIOS
Autor: Poeta Cypriano Maribondo

SALVE OS DONOS DE NOSSA TERRA!
Autor: Paulo Kwamme

RESPEITO AOS ÍNDIOS
Autor: Antonio Marcos Pires

HISTÓRICO
Fonte: www.webciencia.com

UMA HOMENAGEM A TODOS OS ÍNDIOS DO BRASIL
Autora: Zeli Poa

JOGRAL DIA DO ÍNDIO
Autor: Não mencionado
Enviado por: Lika Dutra


NOSSOS ÍNDIOS
Os verdadeiros brasileiros

Todos os anos, no dia dezenove de abril.
O “DIA DO ÍNDIO” o BRASIL comemora.
Para mim, dos índios, são todos os dias.
Do descobrimento, do ontem e do agora.

Os ÍNDIOS são os verdadeiros brasileiros.
Deles, sua terra BRASIL, nós roubamos.
Disse o Português, descobri a nova terra.
Uma mentira que até hoje carregamos.

Em mil e quinhentos eram cinco milhões.
Que já habitavam estas terras do BRASIL.
Nós cometemos o maior dos genocídios.
Nos dias de hoje, não são quinhentos mil.

Enquanto vemos hoje políticos brigando.
Apenas pelo PODER, custe o que custar.
Eles deveriam saber que são os invasores.
Dos nossos ÍNDIOS eles deveriam lembrar.

Quem deve decidir o destino do BRASIL?
O CONGRESSO NACIONAL não deve ser.
Vamos entregar aos ÍNDIOS BRASILEIROS.
Que no voto decidam quem vai vencer.

Assim estaríamos respeitando este povo
INDÍGENA, os VERDADEIROS BRASILEIROS.
Neste momento de turbulência no BRASIL
Homenageando este BRASIL de guerreiros.

Parabéns aos ÍNDIOS e seus descendentes.
Desculpas eu peço em nome do BRASIL.
Pelo massacre que hoje ainda cometemos.
Contra o verdadeiro povo heroico e varonil.

Feliz dia do ÍNDIO e todos os outros dias.
Para vocês, a quem devemos esta terra.
De VERA CRUZ que chamamos de BRASIL.
Enviando homenagens este poeta encerra.

Autor: Poeta Cypriano Maribondo
mgtpoeta@yahoo.com.br
17/04/2016


SALVE OS DONOS DE NOSSA TERRA!

O silvícola seria o dono da terra em que pisamos? Não sabemos. E quanto tempo eles mandaram? Só sabemos que o mundo de fora desalojou os proprietários alegando não terem condição de cuidar da terra.

Quem mandou ser amigo da natureza e falar a língua da mata e conhecer as vozes dos animais, seus parceiros do mesmo lugar? O branco, que vindo das terras pisadas cuja ambição da conquista fluíram no sangue de posseiros que ainda matam ou aprisionam como se fossem suas propriedades.

E o índio que na noite via um céu estrelado e dormia o sono dos justos, de repente sentiu em sua carne o fogo de bacamartes. E viu nas suas mulheres e filhas o peso de doenças jamais sentidas, dos podres visitantes. Eles acreditavam no seu Deus. Mas o branco em uma missa abençoava o lugar como seu. Os curiosos mal suspeitavam de sua desgraça.

Desde lá, até hoje, suas terras, seus rios e suas caças são restritas como reservas demarcadas por brancos. E muita gente tem vontade de exterminar essa raça infeliz que atrapalha seus bons negócios. Será que sentimos vergonha?

E hoje vemos os pardos vendendo suas armas como souvenir e desprezados como seres humanos. Nós sabemos que tudo que temos era deles. Não temos o menor respeito e, com certeza, amanhã nem nos livros encontraremos a sua história. Então viva o ano de 2011! Data que ainda podemos festejar a suas existências e dizer que 19 de Abril festejamos o seu dia.

Tenho um pomposo nome estrangeiro de descendência Nórdica, herança de meu pai e um sangue bem indígena da minha avó, mãe da minha progenitora, uma bela índia Uruguaia. Guardo com muito orgulho o seu sangue, que em mim circula.
Autor: Paulo Kwamme


RESPEITO AOS ÍNDIOS

Os índios merecem todo o nosso
Respeito, carinho e amor.
Até hoje algumas tribos vivem em aldeias, preservando com garra sua própria raça.
Quando os portugueses aqui chegaram já encontraram os índios vivendo e tomando conta das nossas terras.
Os índios respeitam e preservam a Natureza. Amam os animais e cuidam com carinho, amor e imenso respeito da nossa fauna e da nossa flora.
Vivem em contato com a natureza e consideram-se os verdadeiros donos das terras.
Os índios seguem uma alimentação natural e saudável, por isso geralmente são fortes, risonhos e felizes, principalmente aqueles que não têm contato com os homens brancos.
Adoram caçar, pescar e plantar! Tirando da terra sua alimentação e sobrevivência preferem viver longe da civilização, pois têm sua própria cultura e suas próprias leis.
Vamos amar nossos índios com todo o respeito que eles merecem!
Eles fazem parte da história do nosso povo!
Eles fazem parte da história do nosso país!
É importante que os índios sejam lembrados todos os dias como nossos irmãos, pois dão exemplo de pureza e dignidade sempre.
Adoradores da lua e do sol vivem em perfeita harmonia com mares, rios e florestas!
Verdadeiros donos das nossas terras!

Autor: Antonio Marcos Pires


HISTÓRICO

Em 1500, quando os portugueses chegaram ao Brasil, estimava-se que havia por aqui cerca de 6 milhões de índios.

Nos anos 50, segundo o antropólogo Darcy Ribeiro, a população indígena brasileira estava entre 68.000 e 100.000 habitantes.

Passados os tempos de matança, escravismo e catequização forçada, atualmente há cerca de 280.000 índios no Brasil.

Contando os que vivem em centros urbanos, a população indígena ultrapassa os 300.000. No total, quase 12% do território nacional pertence aos índios.

Quando os portugueses chegaram ao Brasil, havia em torno de 1.300 línguas indígenas. Atualmente existem apenas 180. O pior é que cerca de 35% dos 210 povos com culturas diferentes têm menos de 200 pessoas..

Hoje em dia, o que parecia impossível está acontecendo: o número de índios no Brasil e na Amazônia está aumentando cada vez mais. A taxa de crescimento da população indígena é de 3,5% ao ano, superando a média nacional, que é de 1,3%.

Em melhores condições de vida, alguns índios recuperaram a sua auto-estima, reintroduziram os antigos rituais e aprenderam novas técnicas, como pescar com anzol.

Muitos já voltaram para a mata fechada, com uma grande quantidade de crianças indígenas. "O fenômeno é semelhante ao 'baby boom' do pós-guerra, em que as populações, depois da matança geral, tendem a recuperar as perdas reproduzindo-se mais rapidamente", diz a antropóloga Marta Azevedo, responsável por uma pesquisa feita pelo Núcleo de Estudos em População da Universidade de Campinas.

Com terras garantidas e população crescente, pode parecer que a situação dos índios se encontra agora sob controle. Mas não! O maior desafio da atualidade é manter viva sua riqueza cultural.

Organização e Sobrevivência do Grupo

Os índios brasileiros sobrevivem utilizando os recursos naturais oferecidos pelo meio ambiente com a ajuda de processos rudimentares. Eles caçam, plantam, pescam, coletam e produzem os instrumentos necessários a essas atividades.

A terra pertence a todos os membros do grupo e cada um tira dela seu próprio sustento.
Existe uma divisão de tarefa por idade e por sexo: em geral, cabe à mulher o cuidado com a casa, as crianças e a roça; o homem é responsável pela defesa, pela caça (que pode ser individual ou coletiva) e pela colheita de alimentos na floresta.

Os mais velhos - homens e mulheres - adquirem grande respeito por parte de todos.
A experiência conseguida por muitos anos de vida os transforma em símbolos de tradições da tribo. O pajé é uma espécie de curandeiro e conselheiro espiritual.

O Chefe da Tribo

Os índios vivem em aldeias e, muitas vezes, são comandados por chefes, que são chamados de cacique, tuxánas ou morubixabas.

A transmissão da chefia pode ser hereditária (de pai para filho) ou não. Os chefes devem conduzir a aldeia nas mudanças, na guerra, devem manter a tradição, determinar as atividades diárias e responsabilizar-se pelo contato com outras aldeias ou com os civilizados.

Muitas vezes ele é assessorado por um conselho de homens que o auxiliam em suas decisões.

Alimento - Pesca

Além de um conhecimento profundo da vida e dos hábitos dos animais, os índios possuem técnicas que variam de povo para povo. Na pesca, é comum o uso de substâncias vegetais (tingui e timbó, entre outras) que intoxicam e atordoam os peixes, tornando-os presas mais fáceis.

Há também armadilhas para pesca, como o pari dos teneteharas - um cesto fundo com uma abertura pela qual o peixe entra atrás da isca, mas não consegue sair. A maioria dos índios no Brasil pratica agricultura.

Cultura Indígena

O esforço das autoridades para manter a diversidade cultural entre os índios pode evitar o desaparecimento de muita coisa interessante. Um quarto de todas as drogas prescritas pela medicina ocidental vem das plantas das florestas, e três quartos foram colhidos a partir de informações de povos indígenas.

Na área da educação, a língua tucana, apesar do pequeno número de palavras, é comparada por lingüistas como a língua grega, por sua riqueza estrutural - possui, por exemplo, doze formas diferentes de conjugar o verbo no passado.

Ritos e Mitos

No Brasil, muitas tribos praticam ritos de passagem, que marcam a passagem de um grupo ou indivíduo de uma situação para outra. Tais ritos se ligam à gestação e ao nascimento, à iniciação na vida adulta, ao casamento, à morte e a outras fases da vida. Poucos povos acreditam na existência de um ser superior (supremo); a maior parte acredita em heróis místicos, muitas vezes em dois gêmeos, responsáveis pela criação de animais, plantas e costumes.

Arte

A arte se mistura à vida cotidiana. A pintura corporal, por exemplo, é um meio de distinguir os grupos em que uma sociedade indígena se divide, como pode ser utilizada como enfeite.

A tinta vermelha é extraída do urucum e a azul, quase negro, do jenipapo. Para a cor branca, os índios utilizam o calcário.

Os trabalhos feitos com penas e plumas de pássaros constituem a arte plumária indígena. Alguns índios realizam trabalhos em madeira.

A pintura e o desenho indígena estão sempre ligados à cerâmica e à cestaria. Os cestos são comuns em todas as tribos, variando a forma e o tipo de palha de que são feitos.
Na foto: Vaso Marajoara, proveniente do Pará.

Geralmente, os índios associam a música instrumental ao canto e à dança.

Fonte: www.webciencia.com


UMA HOMENAGEM A TODOS OS ÍNDIOS DO BRASIL

Somos filhos da terra cor de urucum. 
Dos sons do igarapé e da força do jatobá.
Das águas do Araguaia, do Tapajós, do Iguaçu.
Somos filhos do sol de Kuaray, da lua de Jaci. 
E da chuva que semeia o guaraná, a pitanga e o aipim.
Somos filhos dos mitos.
Do uirapuru e seu canto, do vento e do pranto.
Guerreiros, fortes, sábios.
Somos Ianomânis, Guaranis, Xavantes, Caiabis.
E o que somos nunca deixaremos de ser. 
Uma homenagem para o dia 19 de abril o Dia do Índio. Abraços.

Autora: Zeli Poa
(Jornal Zero Hora)


JOGRAL DIA DO ÍNDIO

HABITANTES DO SOLO BRASILEIRO

Meninos: Ao explorarem a terra, cheia de coisas bonitas.
Meninas: Notaram que era habitada.
Todos: Por pessoas esquisitas!

Meninos: Andavam quase sem roupas. Uns com penas, uns com tangas...
Meninas: Com colares, com enfeites.
Todos: E caras sérias de zanga!

Meninos: Suas armas eram:
Meninas: O tacape, a flecha e o arco
Todos: E com o tronco das árvores, eles faziam o barco!

Meninos: Moravam em casas chamadas ocas.
Meninas: Que juntas formavam a taba.
Todos: Os homens caçavam e as mulheres faziam tapiocas!

Meninos: Adoravam a Lua Jaci.
Meninas: Eram bem supersticiosos.
Todos: Veneravam o Sol Guaraci.

Meninos: Seu chefe era o Cacique.
Meninas: E o Pajé seu curandeiro
Todos: Eram assim os habitantes deste solo brasileiro!

Autor: Não mencionado
Enviado por: Lika Dutra

Qual a sua opinião sobre esta matéria?
Envie suas críticas e sugestões.

Clique aqui

Deseja enviar esta página para um "Velho Amigo"?
Clique Aqui

<< Clique Aqui para voltar