DICAS DE BELEZA

RESSALVA

Não sou médica e, mesmo se fosse, não poderia dar uma resposta sem fazer uma consulta pessoal. 
Sugiro ainda que não aceitem consultas virtuais.

APAGUE AS MANCHAS DO ROSTO

Melasma/Cloasma

O melasma é uma manifestação caracterizada por manchas escuras na face. O seu surgimento geralmente está relacionado à gravidez ou ao uso de anticoncepcionais hormonais (pílula) e tem como fator desencadeante a exposição da pele ao sol. O ultravioleta aumenta a atividade dos melanócitos provocando a pigmentação. O melasma geralmente melhora no inverno e se agrava no verão. Há recidiva ocorrendo reexposição solar.

Quando estas manchas ocorrem durante a gravidez, recebem a denominação de cloasma gravídico. O estrogênio e a progesterona estimulam a melanogênese. A doença aparece principalmente nas mulheres, mas também pode acometer os homens. Além dos fatores hormonais e da exposição solar, a tendência genética e características raciais também influenciam o surgimento do melasma. A profundidade em que se localiza o pigmento na pele determina o tipo de melasma, que pode ser epidérmico (mais superficial e que responde melhor ao tratamento), dérmico (mais profundo e de tratamento mais difícil) ou misto. Para evitar o melasma, as mulheres não devem se expor ao sol sem proteção solar durante a gravidez ou uso de anticoncepcionais hormonais (pílula).

O cloasma gravídico pode desaparecer espontaneamente após a gravidez, não exigindo, às vezes, nenhum tipo de tratamento. No entanto, o tratamento acelera o seu desaparecimento. Após a melhora, a proteção solar deve ser mantida para evitar o retorno das manchas, que ocorre com bastante freqüência.

Para o tratamento do melasma é fundamental o uso de protetores solares potentes sempre que houver exposição da pele ao sol ou mormaço, devendo-se dar preferência aos que contenham filtros físicos, que bloqueiam a passagem da radiação UV, como o dióxido de titânio.

Melanose solar ("mancha senil")

Aparecem em pessoas com idade mais avançada. Não são provocadas pela idade e sim pelo dano causado pelo sol ao longo dos anos. As melanoses solares são manchas escuras, de coloração castanha a marrom. Elas surgem apenas nas áreas que ficam muito expostas ao sol, como a face, dorso das mãos e dos braços, colo e ombros. São mais freqüentes em pessoas de pele clara. Seu surgimento decorre do aumento do número de melanócitos (célula que produz o pigmento que dá cor à pele) e da sua atividade, produzindo mais melanina e causando as manchas. Pessoas de pele clara, ou que trabalham expostas ao sol, ou tenham o hábito de freqüentar bastante a praia ou piscina, devem usar diariamente protetor solar como uma forma de prevenção das "manchas senis".

Efelides (sardas)

Aumento de melanina com numero normal de melanocitos. Há um aumento no tamanho dos melanocitos. Caráter hereditário e surge após exposição solar. Hipercromia pós-inflamatória: São manchas escuras que ocorrem geralmente após machucados, queimaduras ou picadas de inseto.

Tratamento das Manchas

O tratamento de manchas pode ser feito de várias maneiras e os resultados costumam ser bons, desde que a técnica seja empregada de forma adequada. O tratamento deve ser orientado de acordo com cada caso. O exagero na aplicação pode deixar manchas claras ou até mesmo cicatrizes residuais. O ideal é a prevenção do surgimento das manchas, que deve ser feita através do uso de proteção solar.

Despigmentantes

Hidroquinona: é a droga mais efetiva no clareamento de manchas. Inibe a melanogênese atuando sobre o melanócito. Existem outras substâncias despigmentantes.

A associação dos despigmentantes com alguns tipos de ácidos geralmente aumenta a eficácia daqueles. Quando o pigmento se localiza mais profundamente, a melhora é mais difícil, exigindo persistência para se obter um bom resultado.

Peelings superficiais: podem acelerar o processo facilitando a penetração dos despigmentantes e ajudando a remover o pigmento das camadas superiores da pele. A tecnologia tem avançado muito rapidamente e atualmente existem vários tipos de aparelhos de luz e laser para tratar manchas.

Luz intensa pulsada: O aparelho de luz intensa pulsada (não é laser) usa uma tecnologia que emite um amplo espectro de luz, em geral na faixa de 400 a 1200nm. A seleção do comprimento de onda é feita através de um filtro e este é escolhido pelo médico de acordo com a dermatose a ser tratada. Esta luz gera calor na pele, que atinge vários tipos de alvo: a melanina (sardas), os vasos sanguíneos (microvarizes da face e colo) e o colágeno (flacidez e rugas).

No mercado, existem várias tecnologias de luz pulsada. Algumas limitam o profissional por terem programas prontos que não permitem o melhor uso para cada tipo de pele e problema. O uso da luz intensa pulsada (LIP) nos consultório de dermatologia ganha cada vez mais espaço. Nenhuma outra tecnologia possibilita uma melhora prolongada da coloração, textura e firmeza da pele. A Luz Intensa Pulsada age em dois níveis da pele: profundo e superficial. A aplicação superficial consegue uma redução significativa de manchas como melanoses, sardas, pigmentações dos mais diversos tipos, a maioria devida à exposição ao sol, e de pequenos vasos na região do nariz e de todo o rosto, assim como áreas vascularizadas extensas (manchas avermelhadas).

Além do rosto, podem ser tratados pescoço, colo e mãos, de forma muito eficaz. A aplicação profunda estimula o colágeno, ao transmitir energia às camadas e tecidos profundos. Esta aplicação consegue uma redução das irregularidades dos tecidos, como rugas, cicatrizes de acnes, e outras marcas. Logo após a sessão, as manchas escurecem, como tivessem sido queimadas. Ocorre a formação de uma crosta no local da aplicação, que se desprende da pele em 7 a 10 dias, deixando uma superfície rosada, característica de uma pele recém-formada. Nestas áreas é obrigatório uso de protetor solar diário. Após uma ou duas aplicações com intervalo de 1 mês, os resultados são surpreendentes. Raramente ocorrem efeitos colaterais. A única contra-indicação para a pessoa realizar este procedimento é estar com a pele bronzeada. O tratamento é feito em 4 a 6 sessões, uma em cada mês, é praticamente indolor e o paciente pode retornar às suas atividades logo após a sessão.

Autora: Dra. Renata Roxo

Webdesigner: Lika Dutra
Revisão: Anna Eliza Fürich
aefuhrich@gmail.com

Para acessar matérias anteriores,
clique na caixa abaixo.

Qual a sua opinião sobre esta matéria?
Envie suas críticas e sugestões

Clique aqui

Deseja enviar esta página para um
"Velho Amigo"?

Clique Aqui