DICAS DE SAÚDE

RESSALVA

Não sou médica e, mesmo se fosse, não poderia dar uma resposta sem fazer uma consulta pessoal. 
Sugiro ainda que não aceitem consultas virtuais.


É PERMITIDO ESQUECER

AS PROPRIEDADES DO ABACATE EM DESTAQUE

OS PERIGOS DO EXCESSO DE VAIDADE

QUANDO A CIRURGIA PLÁSTICA DÁ ERRADO

O QUE PODE DAR ERRADO NA CIRURGIA PLÁSTICA

QUANDO NÃO SE PODE FAZER UMA CIRURGIA PLÁSTICA


É PERMITIDO ESQUECER

Neurologista esclarece as verdades e os mitos sobre a memória
da redação
04/05/2010

Todo esquecimento é sinal da doença de Alzheimer? Afinal, como deve ser a alimentação para deixar a memória afiada? Será que os exercícios físicos realmente fazem bem para o cérebro? Quando o assunto é memória fica difícil conseguir guardar tanta informação, e mais complicado ainda é saber quais dessas informações, de fato, são verdadeiras.

Por exemplo, lembra daquela velha história de que esquecer faz parte do envelhecimento. Esqueça. De acordo com a neurologista e membro do Departamento de Neurologia Cognitiva e do Envelhecimento da Academia Brasileira de Neurologia (ABN), Sônia Brucki, isso não passa de um mito. “A ideia de que com o passar dos anos a diminuição da memória seja normal não é verdade. O envelhecimento saudável propicia a preservação de nossas funções cognitivas, inclusive da memória”, afirma ela.

A seguir, a neurologista esclarece o que é verdade e o que não passa de mito.

A diminuição da memória na terceira idade é normal.
Mito.
O ideal é que todos nós envelheçamos de forma saudável e com nossas funções cognitivas intactas. Os idosos quando comparados a indivíduos jovens apresentam escores menores em testes de aprendizado, demoram mais a aprender, mas uma vez ocorrido o processo o restante é normal. Existe uma diminuição na velocidade de processamento psicomotor, porém, estas alterações não levam a comprometimento no dia a dia.

O estresse e a ansiedade podem comprometer a memória.
Verdade.
O indivíduo com estresse crônico pode apresentar alteração na retenção de novas informações, estando relacionada tanto a alterações de atenção quanto no próprio processo de aquisição e formação de novas memórias. Também a ansiedade pode alteração neste processo, principalmente, por comprometimento da atenção.

Os exercícios físicos fortalecem a memória.
Verdade.
Em animais sabe-se que a atividade física aumenta o número de sinapses no hipocampo (estrutura intimamente ligada à formação de memórias). Entre as pessoas, o exercício tem beneficiado de forma inegável o controle de colesterol, diabetes, hipertensão arterial, que são fatores de risco para doenças vasculares, portanto, também diminuem os riscos de alterações vasculares cerebrais. Em alguns estudos a atividade física melhorou o desempenho cognitivo dos participantes, em geral, em tarefas envolvendo atenção e velocidade psicomotora.

Atividades mentais como jogo de xadrez, dama, palavras cruzadas retardam a perda de memória.
Verdade.
O hábito de fazer atividades cognitivas faz com que exista um decréscimo na perda de memória, não em todos os estudos, mas a realização de atividades intelectuais está ligada a criação de novas sinapses e, de qualquer modo, é um bom modo “de exercitar o cérebro”. Manter-se ativo é o melhor remédio, seja fazendo novos cursos, leitura, ir ao cinema, exposições, apresentações, etc. O ideal é não ficar em frente à televisão, assistindo com passividade.

Todo esquecimento é sinal da doença de Alzheimer.
Mito.
A queixa de memória é muito comum entre a população, variando entre 15 a 70%, dependendo do estudo. A doença de Alzheimer, é uma doença degenerativa do sistema nervoso central que inicia-se, em geral, com comprometimento de memória, porém, este vai piorando com o tempo. Sua frequência aumenta com o avançar da idade. É importante prestar atenção nos indivíduos com queixas de esquecimento, se o mesmo se acompanha de dificuldades nas atividades diárias que não existiam anteriormente. Além disso, várias condições associam-se a alterações de memória, como ansiedade e depressão. Ou mesmo o uso de vários tipos de medicações.

O nível de escolaridade influencia as funções cognitivas, como a memória.
Verdade. De um modo geral, quanto maior a escolaridade maior a reserva cognitiva que o indivíduo tem, quer dizer, tem mais substrato para lidar com futuras perdas e se adaptar às alterações cerebrais que possam ocorrer. Mas não só o nível de escolaridade alcançado é importante, se o indivíduo teve pouca escolaridade formal, porém, sempre teve o hábito de leitura, de se informar das mais diversas formas, também retarda comprometimentos futuros.

Com o passar do tempo, a capacidade de memorização diminui.
Verdade.
Se compararmos idosos a jovens, sabemos que existem diferenças durante o processo de aprendizado, porém, uma vez aprendida a informação, esta diferença desaparece.

A memória remota é a mais preservada durante a terceira idade.
Verdade.
Se considerarmos que o indivíduo que se lembrou da mesma situação, informação mais vezes durante sua vida, teve maior chance de fortalecê-la e, por isso, uma maior facilidade em relembrá-la. Este mecanismo ocorre com todas as pessoas, lembramos com maior facilidade do que já relembramos mais vezes e com o que tem mais importância emocional.

Uma alimentação rica em carnes, gorduras, açúcar e com alto consumo de álcool prejudicam a memória.
Verdade.
Estes fatores todos aumentam o risco de doenças cerebrovasculares. As lesões cerebrais após insultos vasculares (sejam por isquemias – falta de sangue; ou hemorrágicos) causam alterações cognitivas numa porcentagem significativa dos pacientes. A alimentação saudável (rica em cereais, legumes, verduras, peixes, azeite), associada ao exercício físico, à atividade intelectual, consumo leve de bebidas alcoólicas são os melhores fatores para termos uma vida e envelhecimento saudáveis.

A sociabilização favorece o bom funcionamento da memória.
Verdade.
Vários estudos já demonstraram que indivíduos solitários, isolados da convivência social têm mais chance de evolução para demência, e também têm maior risco de desenvolver depressão. Por isso, manter uma rede de amigos e atividades sociais é muito bom em qualquer idade.

Fonte: Maisde50.com.br
Enviado por: José Amancio Neto


O ABACATE EM DESTAQUE

PROPRIEDADES:
Segundo estudos feitos no México, maior produtor da fruta, ficou comprovado que as mulheres diabéticas que seguiram uma dieta à base de abacate, durante quatro semanas seguidas, obtiveram a redução do colesterol e da glicemia. Elas eram subordinadas à utilização da insulina. 

* Contém açúcar, fitosterol, lecitina, tanino e ácido oléico, linoléico e palmítico.
* A metade de um abacate, com 110 gramas, fornece 162 calorias e mais proteína do que qualquer outra fruta – cerca de 2g e, nesta quantidade, pode substituir a carne, porque contém gordura e o mesmo valor nutritivo. Por isto, pode fazer parte de uma refeição ou de um lanche. A gordura do abacate, por ser de origem vegetal, não aumenta o colesterol.

Sugestões
1) caso sinta necessidade de adoçar, dê preferência ao mel e ao melado de cana.
 Não use açúcar branco. Mas, se não suportar, utilize o orgânico ou mascavo e vá diminuindo até se acostumar a não precisar adoçar.
2) Deve-se cortá-lo ao meio no sentido do comprimento. Depois, passe um pouco de limão para impedir o escurecimento da polpa, antes de guardá-lo na geladeira ou de usá-lo.
A vitamina C, contida no limão, impede a formação de radicais livres, conservando sua cor natural.

O ABACATE É RICO EM VITAMINAS
A polpa contém:
*Vitamina A, que é necessária para manter a boa visão;  é anticancerígena e combate os radicais livres.
As vitaminas do complexo B facilitam o metabolismo normal dos carboidratos.
*Vitamina B1, ou tiamina, protege contra a síndrome da morte súbita, controla a diabetes e é útil no tratamento de herpes.
*Vitamina B2 (riboflavina) é essencial para a produção de energia do organismo e auxilia a formação da glutationa.
*Vitamina C aumenta a imunidade contra infecções, reduz o colesterol e combate a infertilidade, tendo também ação anticancerígena.
*Vitamina E protege contra doenças cardiovasculares, estimula o sistema imunológico, protegendo contra doenças da pele e fortalecimento das unhas. Combate os radicais livres, servindo como antioxidante. É conhecida, também, como a vitamina da beleza.

Gordura monoinsaturada
* É a mesma do azeite de Oliva, que contém ácido oléico, seu principal componente e que defende as artérias da gordura oxidante do mau colesterol – LDL – tendo efeito destruidor sobre elas.

Sais minerais
*
Fósforo - junto ao cálcio - contribui para a mineralização dos neurônios, melhorando o raciocínio. Fortalece os ossos, combatendo a osteoporose.
* Ferro: indispensável na formação do sangue - combate a anemia - atuando como veiculador do oxigênio para todo o organismo.
* Magnésio: é essencial à vida, ajudando no metabolismo da glicose e nutrindo os nervos e o cérebro; atua na formação dos tecidos, ossos e dentes; ajuda a metabolizar os carboidratos; controla a excitabilidade neuromuscular. Combate a extrema sensibilidade ao frio e ao calor.
* Potássio: age associado ao sódio, regularizando as batidas do coração e o sistema muscular; contribui para a formação das células.
*Cálcio: atua na formação de tecidos, ossos e dentes; age na coagulação do sangue e na oxigenação dos tecidos; combate as infecções e mantém o equilíbrio de ferro no organismo.
* Fósforo: é indispensável para o sistema nervoso e o sistema muscular;  junto com o cálcio e a vitamina D, atua na formação de ossos e dentes, combate o raquitismo, a ocorrência de fraturas; evita músculos atrofiados; alterações nervosas e contribui para a mineralização dos neurônios, melhorando o raciocínio.

Dilata os vasos sanguíneos
* Possui relevante valor energético devido às gorduras responsáveis pelo aumento do bom colesterol, - HDL.  Tem efeito protetor das artérias e, por consequência, sobre a saúde cardiovascular, ao contrário do LDL - o mau colesterol.
* Possui glutationa, antiradical livre, que protege o nosso organismo de agentes cancerígenos.
* Suas substâncias ativas, testerol e lecitina, o tornam eficaz no tratamento das artroses, reumatismo e gota, eliminando as dores reumáticas, a partir da extração de um excelente azeite obtido da fruta. É anti-inflamatório.
* Auxilia na desintoxicação do fígado.
* Diabetes: para as pessoas que sofrem deste mal, é aconselhável comer a polpa durante quinze dias.
* Afrodisíaco: atribui-se à polpa do abacate uma capacidade afrodisíaca.

RECEITA CULINÁRIA
Sugestões
O abacate deve ser servido cru – pois, quando cozido, ele se torna amargo.
1) Fica delicioso, quando servido com camarões ou lagostas, também, quando se introduz camarões médios em uma das metades do fruto.
2) Pode ser cortado em cubinhos e acrescentá-lo em saladas. Fatiados, em pratos quentes: coloca-se no molho de tomate, com os condimentos a gosto, sobre peito de frango, filé de peixe grelhados, camarões ou lagostas.
3) Maionese de abacate - mais saudável do que as industrializadas ou como substitutas da manteiga e das margarinas.
Preparo: amasse a polpa, dissolva com azeite de oliva e iogurte natural desnatado. Coloque uma pitada de sal.

Como sobremesa: a polpa do abacate pode ser passada no liquidificador, para fazer um creme misturado com leite puro, com açúcar ou mel; pode também ser batido com condensado.  Neste caso, não utilizar açúcar.

RESSALVA - Quem estiver fazendo dieta para emagrecer, deve fazer consumo moderado deste tipo de receita, sob orientação médica, em virtude de seu alto valor calórico.

RECEITA DE CREMES AMACIANTES
*Para face e mãos
Polpa madura, mel de abelha. Amasse, faça uma massa cremosa (1/4 da polpa, 1 colher de sopa de mel de abelha). Aplique e deixe cerca de 30 a 40 minutos. Retire com água fria. Use pelo menos duas vezes por semana.
* Para cabelos
Polpa madura e uma colher de azeite de oliva e mel. Amasse e passe no couro cabeludo e nos cabelos utilizando um pente, para espalhar o creme, mecha por mecha, até as pontas.

PROPRIEDADES DO CAROÇO
* Afrodisíaco – o caroço também pode ser utilizado como um excelente afrodisíaco: aumenta a libido.  
Preparo – Depois de esmagá-lo, adicione vinho branco. Coloque em um recipiente de vidro escuro e protegido da luz e deixe a infusão, no mínimo, por 20 dias – não pode ser por menos tempo. Agite o recipiente algumas vezes, diariamente. Depois deste período, tome um cálice uma vez ao dia.

Em forma de Chá
* Elimina a diarréia, a tênia e outros vermes intestinais:
Utilize o caroço, tostado e moído bem fino até virar pó e coloque duas colheres de café em uma xícara de água morna e tome três vezes ao dia.

* Elimina a caspa
O Chá utilizado diretamente no couro cabeludo elimina a caspa, fortalece os cabelos e combate a calvície.
O caroço também pode ser consumido fresco, podendo ficar na geladeira por algum tempo, sem estragar.

PROPRIEDADE DAS FOLHAS
Uso externo
* Para tratar nevralgia, ou cefaléia (dor de cabeça) - Esquente um pouco d’água e coloque algumas folhas secas. Quando a mistura estiver morna, coloque sobre a cabeça, em forma de compressa, várias vezes ao dia, enquanto precisar.
Uso interno
A folha do abacateiro pode ser usada verde ou seca para fazer chá.
* Como Diurético
: o chá é utilizado como diurético para eliminar cálculos renais
* Como antiflatulento: elimina a formação de gases intestinais;
* Fígado: ajuda a vesícula a liberar a bile, melhorando a digestão das gorduras. Se o fígado estiver saturado de gordura e tóxicos, e se você não sofre de problema com pressão arterial, tome três goles do chá de folhas secas, de hora em hora, durante todo o dia, por 15 dias.
* Diabetes: o chá de folhas secas serve especialmente aos diabéticos.
Como utilizar: tomar uma xícara de chá de folhas secas, sem açúcar,  após as refeições.
* Cansaço físico: Tome duas xícaras de chá das folhas secas, com algumas gotas de limão e uma colher de mel.
* Para emagrecer: por melhorar a digestão das gorduras, tomando três xícaras ao dia, ajuda nas dietas de emagrecimento. Não se deve aumentar as dosagens.
*Emenagogos - menstruação: provoca ou restabelece a menstruação).
*Gengivas e dentes: fortalece as gengivas e dentes, é só mastigar suas folhas.
*Afecções da garganta: gargarejar com chá das folhas.

Cuidados com o consumo do chá
1) Se você tiver problemas de palpitação, utilize sempre as folhas secas. As verdes costumam provocar palpitações cardíacas.
2)
As pessoas  que tiverem problema com a pressão arterial  devem evitar tomar grandes quantidades diárias do chá, ou seja, mais de 3 xícaras por dia. Por ser diurético, pode reduzir muito a pressão arterial.
3) O aconselhável é tomar pela manhã e no máximo até às 17 horas. Evite ingerir no início da noite, para evitar o desconforto de ter que levantar da cama pra ir ao banheiro.

AS FOLHAS MAIS O CAROÇO
*Dores de cabeça, reumáticas e contusões.
Uso tópico
A mistura da folha e do caroço picados combate dores de cabeça, reumáticas e contusões.
Preparo: 1 colher de folha picada, outra de semente ralada, 1 xícara de álcool de cereais a 60%, 1 pedra de cânfora; aplicar nas partes doloridas com chumaço de algodão. Esta infusão não deve ser bebida;  é para uso tópico no local afetado, por um período de 5 dias.

PROPRIEDADES DAS CASCAS
As cascas do abacate são ricas em fitonutrientes - elementos que contêm magnésio e vitamina B6 - combatem os radicais livres; possui fibras, que auxiliam na saciedade e ajudam a acelerar o metabolismo, queimando as gorduras. Também é utilizado pra curar verminoses.
Preparo: lavar e moer bem a casca de abacate e misturar, em partes iguais, com casca de limão ralado; acrescentar mel e tomar, em jejum, uma colher das de sopa.

NOTA DO SITE
Todas as dicas de beleza e de saúde, que impliquem em ingerir soluções, chás e utilizar cremes, ainda que fitoterápicos, merecem cuidados. O uso errado pode provocar envenenamento, alergias, etc.
As informações contidas nesta matéria são oriundas de pesquisa em diversos sites. Foram divulgadas somente os dados que obtiveram identidade entre eles.
Todavia, não deixe de consultar seu médico.

OBSERVAÇÕES

1) É aconselhável dar preferência a frutas e legumes orgânicos, por não utilizarem agrotóxicos;  caso não seja possível, compre em feiras ou hortifrutigranjeiros. Escolha os mamões maiores. Dê umas sacudidas nele para perceber se o caroço está preso.
O uso do suco de limão deve ser utilizado, também, na banana e na maçã para evitar o escurecimento pela oxidação.
2) Não guarde os abacates verdes na geladeira. Ele deve ficar em lugar arejado. Deste modo a fruta amadurecerá naturalmente em poucos dias.
3) O Abacate é da família das Lauráceas, nativa da América Central. Seu nome científico é Persea gratissima Gaert.
4) É originário do México e América Central, sendo que o México é o maior produtor.
5) O abacateiro chegou ao Brasil em 1809.
A sua colheita é possível durante o ano todo. Porém, o máximo de produção ocorre nos meses de março e abril.
O abacate só começa a amadurecer depois de colhido e fica maduro em poucos dias. Por isto, não há necessidade de comprar apenas os que já estão maduros.

Colaboração da "Velha Amiga” Glace Vieira
que sugeriu a matéria e colaborou com o contéudo.

Fonte: pesquisa em diversos sites
Lou Micaldas


Os perigos do excesso de vaidade

Que atire o primeiro salto alto a mulher que nunca sofreu um pouquinho em nome da beleza. Roupa justa, brincos pesados, maquiagem todo dia e o próprio salto alto são sacrifícios necessários quando a vaidade pede. Mas transformar tudo isso em hábitos rotineiros pode lhe render alguns problemas, sabia? Então, aprenda como ficar bonita sem sacrificar seu bem-estar.

Excesso de salto alto

Está certo que ele é o símbolo da elegância e é a aposta certeira de uma mulher que quer se sentir mais feminina, mas o problema é usar sapatos com salto alto todo santo dia, no trabalho inclusive.

Por que é perigoso?

Pernas e pés: esse tipo de sapato é o menos adequado ao dia-a-dia, pois o salto sobrecarrega os tendões e os ligamentos dos pés, tornozelos e pernas. Cada pé possui 28 ossos, que formam articulações sustentadas por centenas de ligamentos e dezenas de músculos. Com saltos, você coloca praticamente todo o peso no antepé, nome dado à parte da frente do pé e aos dedos. E, se por um lado a pressão é grande na ponta do pé, falta mobilidade na parte de trás da perna. Com o calcanhar nas alturas, o tendão-de-aquiles fica encurtado e pode gerar uma tendinite. Os principais sintomas são a dor e a dificuldade para andar descalça. Lembre-se de que quanto mais alto o salto, maior o peso na região.

Joelhos e coluna: os joelhos também podem ser comprometidos com o uso contínuo do salto, por ficarem flexionados o tempo todo. Um problema mais comum é a condromalácia patelar, que nada mais é do que a dor nos joelhos causada pelo desgaste articular, provocado pela posição.

Os saltos também alcançam a região lombar. Ao alterar o centro da gravidade corporal, o salto aumenta a lordose. O mesmo efeito que faz com que o salto empine o bumbum pode trazer problemas na coluna e, em casos extremos, o aparecimento das hérnias de disco.

Roupas muito justas

Deixar as curvas bem marcadas ao usar roupas justas é um jeito de explorar a sensualidade, sim. O problema é que isso pode comprometer a boa circulação.

Por que é perigoso?

Roupas apertadas, principalmente as confeccionadas em tecidos grossos, prejudicam a circulação sanguínea, causando dores, desconforto e até varizes. Veja só:

Circulação ruim: as roupas justas dificultam o retorno do sangue venoso, que passa muito tempo nos membros inferiores.

Varizes: este problema pode se agravar nas mulheres que já têm tendências genéticas ou que tomam pílulas anticoncepcionais. Se você se enquadra nesses casos, use peças mais larguinhas e deixe as justas para ocasiões esporádicas.

Celulite: as roupas justas retardam o tratamento ou favorecem o surgimento dos furinhos. Quando há formação dos nódulos de gordura, causadores de celulite, a circulação sanguínea fica prejudicada e, se você usa roupas apertadas, afeta ainda mais a passagem do sangue, agravando o quadro. Por exemplo, a celulite de grau um evolui para grau dois.

Digestão: após as refeições, o estômago fica dilatado, já que é nele que ocorre parte da digestão, graças à ação dos ácidos. No entanto, a pressão das roupas pode fazer com que os ácidos do estômago refluam para o esôfago, causando azia e refluxo.

Doenças sexuais: para as mulheres, o uso de calças extremamente justas deixa a região da virilha mais úmida e quente, tornando-se propícia ao surgimento de fungos e bactérias causadores de doenças, como a candidíase. Para os homens, vestir calças e cuecas apertadas pode alterar a quantidade e a qualidade dos espermatozóides produzidos, além de causar dor nos testículos.

Brincos pesados demais

Optar sempre por esse tipo de bijuteria pode fazer com que as orelhas fiquem inflamadas constantemente. O peso que uma orelha suporta varia de acordo com características individuais. Mas se, por acaso, o brinco provocar tensão na pele, vale a pena substituí-lo por um mais leve. Aposte no bom senso para identificar o brinco certo.

Por que é perigoso?

Os lóbulos das orelhas, quando sofrem traumas constantes, acabam “rasgando”. Neste caso, eles podem ser reparados com a zetaplastia, com o tratamento de incisão e sutura ou ainda com a técnica de retalho em gaveta. Mas é somente o cirurgião plástico quem decidirá qual a mais indicada.

Maquiagem em excesso

Pra você ter uma idéia, as próprias modelos, no dia-a-dia, andam de cara limpa e deixam o make pesado só para os dias de desfile.

Por que é perigoso?

A maquiagem em excesso torna a pele mais oleosa, principalmente quando o rosto não é bem lavado depois, e também pode provocar alergias. Por isto, mulheres mais velhas costumam ter acne. Além disso, as maquiagens para os olhos podem irritar as pálpebras, a conjuntiva e a raiz dos cílios. O melhor a fazer é optar por batons e bases com fator de proteção solar no dia-a-dia e deixar a maquiagem carregada só para a noite. Utilizar bases leves e sempre limpar e hidratar a pele previamente. Mas lembre-se: chegando em casa, é preciso lavar bem o rosto, usar um demaquilante poderoso e hidratar.

Pra não se prejudicar, tenha em mente que a melhor vaidade é aquela que não prejudica a sua saúde, ok?

Autora: Daniela Hueb


Quando a cirurgia plástica dá errado
 

Botox, lipoaspiração, silicone, preenchimento de falhas na pele. Essas palavras já passaram pela mente da maior parte das mulheres, mesmo que seja somente em um minuto de curiosidade. São procedimentos estéticos popularizados, mas que podem ter consequências graves se não forem tomados os devidos cuidados. A cirurgiã plástica Ana Zumira Badin comenta os maiores perigos desses procedimentos:

•Botox – A Toxina Botolínica é uma substância produzida por uma bactéria que, ao ser aplicada no músculo, o paralisa, com a intenção de diminuir rugas. Como a substância vai ficar instalada dentro da estrutura do sistema nervoso, é preciso conhecer bem a anatomia para aplicá-lo. Se o Botox for injetado no lugar errado, vai se esparramar e com isso deformar o rosto. Em caso de procedimento errado, uma pálpebra pode ficar mais elevada do que a outra ou ainda a boca ficar com o músculo depressivo, virado para baixo. Se isso ocorrer, o paciente precisa esperar de quatro a seis meses até a substância perder o efeito. Existe um colírio que pode amenizar a situação, mas nem sempre dá o efeito desejado.

•Prótese mamária e de nádegas (silicone) – Também é preciso conhecer a anatomia e a diferença de cada mama e bumbum para saber quando se deve colocar debaixo do músculo e quando não é necessário. Se a anatomia não é levada em conta, acontece de a prótese ficar visível e palpável, podendo até ser pressionada e arrebentar. Outra fonte de problemas é colocar um volume maior do que o adequado para a estrutura do paciente.

•Lipoaspiração – É causa dos maiores problemas na cirurgia plástica. De tanto exagero cometido, o Conselho Federal de Medicina publicou uma resolução que impede a retirada de mais de 7% do peso corporal. Isso porque junto com a gordura, há retirada de sangue podendo provocar anemia no paciente. Antes de passar pelo procedimento, o médico precisa fazer uma avaliação clínica rigorosa, verificando se o paciente não tem anemia prévia ou outro problema de saúde que inviabilize a lipoaspiração.

•Preenchimento – De acordo com a médica, também há exagero neste tipo de procedimento. Além do uso de produtos não adequados, acontecem aplicações erradas, que deixam o lábio muito grosso ou duro demais e a maçã do rosto exagerada, que fica com aparência de caída.

Autora: Ana Zumira Badin

O que pode dar errado na cirurgia de plástica?

SBCP-SP alerta: cirurgia de lipoaspiração é delicada e envolve riscos, ao contrário do que se acredita. A retirada de grandes quantidades de gordura e o envolvimento de partes delicadas do corpo, como o tronco, fazem da lipoaspiração uma cirurgia que só deve ser praticada por cirurgiões plásticos que possuem o título da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. "Nas grandes lipoaspirações, assim como nas abdominoplastias, por conta da compressão abdominal podem ocorrer flebite, embolia gordurosa e principalmente o TEP (trombo embolismo pulmonar)", afirma o médico João de Moraes Prado Neto, presidente da SBCP-SP.

De acordo com Prado Neto, a idéia de que a lipoaspiração é uma cirurgia simples, está completamente equivocada. Os exames pré-operatórios devem ser realizados e o hospital escolhido deve obedecer normas rígidas, como possuir equipamentos de anestesia atualizados e monitores multiparamétricos.

Além disso, a equipe anestésica deve ser habilitada, pois como em qualquer outra cirurgia há riscos do paciente apresentar complicações como, por exemplo, alergia ao anestésico, etc.

O que pode dar errado na cirurgia de plástica?

"Medicamentos como ginseng, gincobiloba e vitamina podem colocar em risco pacientes que irão se submeter a uma intervenção cirúrgica. Mais recentemente, descobriu-se que o ginseng, a gincobiloba, e a vitamina E, também podem interferir na coagulação do sangue, causando hemorragias".

Finalmente chega o dia marcado para a tão sonhada cirurgia plástica. Todos os exames de rotina foram realizados, como eletrocardiograma, hemograma, coagulograma, urina e glicemia, conforme solicitação do médico. O que pode acontecer de errado? "Há sempre um risco calculado para toda e qualquer atividade realizada e a função de um bom médico é reduzir esses riscos", explica Prado Neto.

Uma simples vitamina E ou uma substância para dar mais pique como o ginseng pode interferir no sucesso de uma cirurgia. Botox®, preenchimentos e linhas de sustentação podem afetar de forma negativa o resultado e precisam ser eliminados por completo do organismo antes da intervenção cirúrgica.

Medicamentos que interferem na coagulação do sangue e podem causar sangramentos excessivos

É de extrema importância relatar ao médico cirurgião quais os medicamentos que o paciente está tomando antes de se submeter a qualquer procedimento cirúrgico, afirma o cirurgião. Aos olhos dos leigos, esses medicamentos não fazem mal ou não apresentam riscos para um bom resultado na cirurgia.

Já eram conhecidas as contra-indicações do ácido acetilsalicílico, de anti-inflamatórios e também de alguns antidepressivos - incompatíveis com algumas drogas anestésicas - no pré-operatório. Mais recentemente, descobriu-se que o ginseng, a gincobiloba, e a vitamina E também podem interferir na coagulação do sangue, causando hemorragias.

"O uso desses medicamentos deve ser suspenso 15 dias antes da realização da cirurgia, para que o corpo metabolize totalmente a droga, principalmente no caso do ginseng que demora para ser eliminado no organismo", explica o cirurgião plástico Cecin Daoub Yacoub.

Pacientes considerados de risco

Os fumantes são considerados pacientes de risco para a realização de qualquer tipo de intervenção cirúrgica, bem como os obesos, os pacientes que apresentam grande quantidade de varizes e mulheres que fazem uso de hormônios para reposição na fase da menopausa. "Estes pacientes apresentam grande chance de desenvolverem uma embolia durante a realização de cirurgias consideradas de grande porte", explica Prado Neto.

Fumantes que usam anticoncepcional

No caso das fumantes, que utilizam anticoncepcionais, o risco de formação de coágulos é ainda maior. O médico é enfático ao afirmar que não realiza cirurgia de abdome e lifting facial neste grupo. "Por exemplo, na plástica de abdome há muitas artérias seccionadas tanto verticalmente quanto horizontalmente, por isto há a necessidade do paciente possuir boas artérias que nutram o local. No caso dos fumantes, as artérias se fecham reduzindo em 50% o fluxo de oxigênio", afirma o presidente da entidade.

Pacientes que necessitam de atenção especial e a presença de médicos de outra especialidade

Alguns pacientes necessitam de atenção especial antes e durante a cirurgia, e devem sim ser assistidos por outro médico, como no caso de pacientes que apresentam problemas cardíacos e devem ser acompanhados por um médico cardiologista durante a cirurgia. Como também no caso de pacientes diabéticos graves, onde é importante a presença de um médico endocrinologista na cirurgia, além de acompanhar de perto o pós-operatório.

"Não há nada que impeça esses pacientes de se submeterem a uma cirurgia plástica, mas, usualmente, solicito que consultem também um especialista para que ele peça mais exames", afirma Yacoub.

Cuidados específicos para alguns tipos de cirurgia

Para um paciente que irá se submeter a uma plástica de pálpebra (blefaroplastia), pode haver a necessidade, por exemplo, de solicitar exames para verificar a existência de catarata, glaucoma, entre outras enfermidades.

No caso da cirurgia de nariz, o cirurgião plástico deve fazer uma análise do órgão do ponto de vista funcional, além de solicitar se necessário, exames mais aprofundados ao otorrinolaringologista.

Pacientes "inoperáveis"

Há casos em que é praticamente impossível operar alguns pacientes. Segundo a Sociedade Americana de Anestesiologia, os pacientes são divididos em cinco classes de acordo com o risco que apresentam ao se submeterem a uma cirurgia. Esta classificação vai de ASA 1 a ASA 5, e os classificados acima de ASA 3 apresentam um alto risco para a realização de intervenções por apresentarem um histórico extenso de doenças. Ocorrências como enfarte, angioplastia, cateterismo, diabetes, hipertensão e até idade avançada compõem um histórico de risco.

"Houve um caso bem incomum em que o paciente realizou todos os exames de rotina solicitados por mim e nada foi identificado. No momento exato do primeiro corte, em função de minha experiência, percebi um sangramento em excesso e não operei. Mais tarde, após solicitar um exame mais abrangente, foi identificada nessa paciente uma disfunção rara de coagulação no sangue. Cabe também ao médico ter bom senso e decidir quando deve parar", complemente Prado Neto.

De cada 100 pacientes, em média, que procuram um médico cirurgião plástico para realizar alguma intervenção, apenas 2% deles são vetados.

Botox® e preenchimentos

Nos casos de pacientes que estão sob efeito de Botox® e preenchimentos é necessário aguardar passar o efeito das substâncias. No caso do Botox®, é necessário esperar 6 meses para que o medicamento deixe de agir sob a face. É a partir dos contornos reais do rosto do paciente que o cirurgião plástico pode atuar com mais segurança de resultados positivos.

Nos casos em que o paciente possui fios de sustentação no rosto, a cirurgia é ainda mais delicada. "Quando descolamos a pele da face, encontramos uma trama de fios o que limita muito o médico na realização da cirurgia de lifting", explica o médico.

Fonte: Site Vya Estelar

Quando não se pode fazer uma Cirurgia Plástica

Toda cirurgia causa um trauma ao nosso organismo. Sempre que uma pessoa é submetida a uma cirurgia seu corpo sofre as consequências do ato cirúrgico. Várias são as alterações decorrentes deste fato - é o que chamamos de Resposta Endócrino Metabólica ao trauma.

Para recuperar-se destas alterações é preciso que nosso corpo esteja em perfeito estado de saúde. Qualquer alteração endócrina ou metabólica decorrente de qualquer causa/doença pode impedir que esta recuperação ocorra ou causar prejuízos a esta.

Quando esta situação ocorre nosso corpo irá sentir as consequências que podem ser manifestadas basicamente de duas maneiras.

1- Uma doença prévia poderá ser piorada.

O aumento da gravidade de um estado de saúde prévio pode ser causado pelas alterações resultantes do trauma da cirurgia e aumentar a gravidade da doença podendo chegar ao ponto de comprometer a segurança do paciente. É o caso de uma pessoa que tenha sofrido um infarto. Se submetida a uma cirurgia e durante o procedimento houver, por exemplo, uma queda de pressão arterial irá ocorrer uma diminuição na circulação do sangue que vai para o coração e desta maneira aumentar ainda mais o infarto piorando a condição do paciente.

2 – Poderá ocorrer um comprometimento do resultado final da cirurgia.

É por isso que ao avaliarmos uma pessoa para ser submetida a uma cirurgia devemos buscar por situações que possam causar prejuízo ao paciente ou ao resultado da cirurgia. Para se indicar um procedimento é preciso avaliar o Risco Benefício do procedimento para o paciente.

Situações onde existem fatores que determinam um Risco potencial maior que o Benefício que o procedimento pode gerar ao paciente são definidas como contraindicações para a realização da cirurgia.

Da mesma forma, quando existe um risco de que o resultado final de uma cirurgia possa ser comprometido significa que o benefício que o procedimento poderia dar ao paciente após a sua execução está diminuído, caracterizando também uma situação onde o a realização do procedimento é contraindicada.

As contraindicações, como chamamos esses fatores que determinam um aumento do risco e uma diminuição da possibilidade de benefícios para o paciente, podem ser divididas em dois tipos.

Contraindicações absolutas: São situações que impedem definitivamente a realização da cirurgia. Neste caso, se o procedimento for realizado, é quase 100% a chance de que haja piora do estado de saúde do paciente, pois o risco de causar danos ao paciente é muito elevado em relação ao benefício que a cirurgia pode proporcionar. O procedimento só pode ser realizado quando houver uma correção ou compensação completa do fator ou doença.

Contraindicações relativas: Quando há fatores que aumentam o risco de insucesso da cirurgia ou de que venham a ocorrer problemas à saúde do paciente, decorrente do procedimento, mas a incidência destes problemas não é tão elevada (100%), como no caso das contraindicações absolutas. Neste caso há um aumento do risco que não exclui o benefício da cirurgia para o paciente.

Nem sempre um estado de saúde ou situação do paciente terá o mesmo comportamento, isto porque a contraindicação é definida como sendo absoluta ou relativa, levando-se também em conta o tipo de cirurgia a ser realizado.

Um exemplo; o tabagismo é uma contraindicação absoluta para a realização da cirurgia de Rejuvenescimento Facial. A Ritidoplastia (cirurgia para Rejuvenescimento da Face) tem o seu resultado final muito dependente da vascularização da pele da face. A nicotina do cigarro é uma substância que causa o fechamento dos vasos sanguíneos (efeito vaso constritor) e com isso há uma diminuição da circulação do sangue para a pele da face, o que pode causar a morte, a necrose da pele e vai comprometer seriamente o resultado da cirurgia pela presença de cicatrizes muito alargadas e de péssimo aspecto estético, decorrentes da perda de cobertura cutânea causada pela necrose local. Em uma cirurgia de mamoplastia de aumento (Linkar com Mamoplastia de aumento) (cirurgia de colocação de silicone nas mamas) o tabagismo não tem muita influência no resultado final da cirurgia, pois neste tipo de procedimento a vascularização da pele não sofre tanta influência assim da ação vaso constritora da Nicotina e não é comum que haja sofrimento do suprimento sanguíneo da mama, a ponto de causar danos a esta. Neste tipo de cirurgia o Tabagismo é um contraindicação relativa e desde que a paciente não tenha um comprometimento respiratório severo que impeça a realização da anestesia, a cirurgia pode ser feita sem grande chance de que problemas ocorram.

Quando o paciente consegue parar de fumar, deixamos de ter o fator de risco presente e a cirurgia de rejuvenescimento facial pode ser realizada sem que haja a ocorrência de necrose da pele.

Alguns fatores que são contraindicações relativas podem se somar a outros e assim duas ou mais contraindicações relativas se tornam uma contraindicação absoluta para a realização da cirurgia. Até que se tenha revertido todas as contraindicações relativas, o procedimento fica impedido de ser realizado.

A diabete é uma doença que cronicamente compromete os pequenos vasos sanguíneos de nosso corpo causando danos à microcirculação. Assim como o efeito vaso constritor da Nicotina, a diabete provoca uma diminuição da circulação do sangue na pele. Uma paciente com diabete cronicamente descompensada pode ter um dano muito acentuado de sua microcirculação, se somado a isto tivermos associado o tabagismo, a chance de que problemas ocorram durante uma cirurgia é muito elevada, sendo assim uma situação de contraindicação absoluta para a realização de uma Ritidoplastia.

Se eventualmente o hábito do Tabagismo deixar de existi,r ainda assim teremos uma contraindicação para a realização desta cirurgia, pelo grave comprometimento da circulação sanguínea da pele, decorrente da diabete cronicamente descompensada. E a cirurgia deverá ser contraindicada.

Em uma situação de uma diabete bem tratada e que se mantenha compensada mesmo que a doença tenha um longo período de existência, sem que haja sinais de comprometimento da circulação periférica, ao deixar o hábito do tabagismo deixamos de ter as duas contraindicações relativas e desta maneira a paciente poderá ser operada.

O mesmo acontece com outras associações de doenças como: Hipertensão arterial e diabete, Hipo/Hipertireoidismo e Diabete, e assim por diante;

Como vimos, a diabete, assim como o tabagismo, pode ser uma contraindicação absoluta ou relativa para a realização das cirurgias.

De maneira geral doenças sistêmicas graves ou descompensadas, doenças cárdiocirculatórias, doenças pulmonares, doenças/distúrbios autoimunes, distúrbios do colágeno, são contraindicações absolutas para a realização de procedimentos em cirurgia plástica.

Diabete descompensada, hipertensão arterial, obesidade, tabagismo, entre outras são contraindicações relativas em cirurgia plástica.

Como foi dito existem fatores, como as doenças, mas também existem situações que podem ser contraindicações para a realização de um procedimento em cirurgia plástica.

A idade é uma dessas situações. Realizar Cirurgias Estéticas em Adolescentes muitas vezes pode ser algo complicado e é muito grande o nível de arrependimento frente ao procedimento. Isto ocorre por características próprias do adolescente, sendo muitas vezes contraindicado realizar este tipo de cirurgias em pacientes desta faixa etária.

A falsa expectativa de resultados ou quando há um falso desejo de realizar a cirurgia também são situações de contraindicação relativa em cirurgia plástica.

Quando identificada qualquer situação de contra indicação para a realização de uma cirurgia plástica, o médico deve sempre levá-la em consideração de modo a evitar que problemas sejam causados ao paciente, ou que o resultado da cirurgia fique comprometido, causando a falha no objetivo do tratamento.

Até que todos os fatores que contraindicam uma cirurgia sejam resolvidos, ou contornados, o procedimento não deve ser executado. Isto garante que a cirurgia seja realizada com o máximo de segurança para o paciente, e que bons resultados sejam obtidos. Para isto o cirurgião plástico deve realizar uma boa avaliação pré-operatória de seu paciente, de modo a poder identificar a presença de qualquer situação que seja contraindicação e poder trabalhar junto ao paciente orientando qual seria a melhor forma para solucionar o problema.

Também deve haver o empenho do paciente em atentar para com as orientações que estão sendo dadas pelo seu cirurgião plástico e buscar trabalhar em conjunto, solucionando a contraindicação e com isto ter condições adequadas à realização do procedimento, que então pode ser feito sem grandes riscos a sua saúde e bem-estar.

Nesta avaliação pré-operatória devemos atentar não somente que há fatores relacionados à situação de saúde, ou corporal, do paciente. Devemos também avaliar sua situação social e psíquica.

Se houver uma situação social que se mostre uma contraindicação relativa à execução da cirurgia esta deve ser solucionada previamente ao tratamento.

Um exemplo: Uma cirurgia que demande uma abstinência completa de esforço físico não pode ser realizada em uma paciente que tenha um filho de colo, ou de pouca idade. Nesta condição, a criança ainda tem uma grande dependência materna, o que obriga a mãe a executar atividades diárias que exigem esforço físico intenso, como carregar, dar banho na criança, etc. Se a cirurgia for realizada nesta condição provavelmente a dependência materna que a criança ainda possui irá obrigar a mãe a executar atividades que exigem esforço e com isto pode ocorrer o comprometimento do resultado da cirurgia ou mesmo a sua perda.

Uma pessoa que tenha uma ocupação profissional que exija a sua presença em público pode se ver em uma situação de grande constrangimento ou mesmo impossibilitada de exercer suas atividades. Uma cirurgia de rejuvenescimento facial, ou uma cirurgia das pálpebras, cursam no pós-operatório com intenso edema da face. Isto causa uma perda da personificação da pessoa que perde “a boa aparência”. Apesar de estes aspectos serem transitórios, pode ser muito comprometedor, inviabilizando a realização das atividades usuais de ocupação do paciente.

Se a atividade profissional da paciente demanda a realização de esforço físico se a cirurgia exigir repouso a este tipo de atividade, a paciente ficará impossibilitada de exercer suas atividades profissionais até o final do terceiro mês após a cirurgia. Algo que pode ser realmente complicado por trazer problemas profissionais pela não execução dos compromissos diários. Se por necessidade laboral a paciente for obrigada a fazer esforço físico, poderá ocorrer comprometimento da cirurgia, ou mesmo danos a sua saúde.

Assim, a baixa idade dos filhos e o tipo de atividade ocupacional podem ser contraindicações relativas na realização de um determinado procedimento, não pelo procedimento poder comprometer o estado de saúde da paciente, mas por gerarem uma situação de comprometimento social, de forma a lhe causar transtornos graves na esfera social ou mesmo no resultado final da cirurgia.

É por isto que a investigação do cirurgião plástico deve ser estendida ao âmbito social de sua paciente, de forma que fatores como estes sejam identificados e com isto possam ser criados mecanismos que permitam resolvê-los e o procedimento seja realizado sem que haja o risco de causar um problema social a sua paciente.

A falsa expectativa de resultados, uma doença depressiva (depressão grave), uma perda exagerada da autoestima, doenças psiquiátricas, incapacidade de aderência ao tratamento são alguns exemplos de situações na esfera psíquica que são contraindicações para a realização de cirurgias estéticas e que quando não são identificadas pelo cirurgião vão causar sérios problemas, pois este tipo de problema vai se refletir de forma generalizada na forma como o paciente encara o seu tratamento, podendo gerar a perda da cirurgia, comprometimento do resultado final, e sempre cursa com uma insatisfação plena do paciente frente ao resultado final obtido, qualquer que seja este.

Estas situações são as mais difíceis de serem identificadas pelo cirurgião plástico pois muitas vezes não há condições para que isto ocorra. Seja por incapacidade do profissional em desvendar este tipo de problema em sua entrevista com o paciente, pois muitas vezes estes aspectos somente podem ser revelados por um profissional especializado nesta área, seja pelo fato de que muitas vezes a/o paciente dissimulam estes aspectos. Isto é a causa mais frequente de insatisfação com o resultado de uma cirurgia e de problemas no relacionamento médico paciente.

O cirurgião tem que ter a habilidade para desconfiar da presença de alterações na esfera psíquica de sua paciente e com isto lidar com a situação, seja buscando auxílio de um especialista que possa desvendar mais profundamente o problema, seja por uma abordagem direta com a sua paciente. Desta forma esta situação pode ser corretamente dimensionada e com isto definimos se ela é realmente uma contra indicação para a cirurgia ou não.

Se for identificada uma situação real na esfera psíquica que seja uma contraindicação, absoluta ou relativa, o cirurgião não deve submeter a paciente ao tratamento por mais insistente que esta seja, por mais tentativas de convencer do contrario que possam surgir, pois o tratamento sempre estará fadado ao fracasso, caso esta limitação para a execução do procedimento cirúrgico não seja adequadamente manejada em conjunto com o paciente.

Quando este aspecto for identificado pelo seu cirurgião, este deverá abordá-lo, de uma forma direta ou através do auxílio de um especialista, e nesta condição é preciso que haja seu empenho em compreender que esta atitude é uma conduta médica, que visa unicamente preservar o seu bemestar.

O bom cirurgião plástico se preocupa com todos esses aspectos em seus pacientes e sempre irá agir de forma a ter o máximo de segurança na realização da cirurgia. Problemas dessa natureza podem colocar a sua integridade em risco. Por este motivo, para seu próprio bem-estar, é que devemos abordar esses aspectos com nossos pacientes sempre que eles são identificados.

Para o sucesso de seu tratamento, para que o resultado final de uma cirurgia plástica seja o melhor possível, é preciso que haja empenho de cirurgiões e pacientes de forma que eventuais problemas, eventuais contraindicações possam ser resolvidas de forma correta garantindo que o tratamento seja feito com segurança absoluta, levando ao sucesso da cirurgia.

Autor: Dr. Iversen Ferrante Boscoli


DICAS DE SAÚDE E DE BELEZA
RESSALVA

Não sou médica, nutricionista, dermatologista, nem esteticista.
Sou jornalista.

Recebo muitas dicas de saúde e de beleza enviadas por nossos “Velhos Amigos”.
Peço que citem as fontes e o nome dos autores das matérias que nos são enviadas para publicação.
Se alguém encontrar algum texto
sem os devidos créditos, solicito que me
informe para que eu possa incluir em nossas seções, em respeito ao direito do autor.
Esclareço, ainda, que não estou capacitada a responder perguntas sobre assuntos que se desviam
do meu conhecimento profissional.
Muito obrigada.
Um beijo,
Lou Micaldas

Webdesigner: Lika Dutra
Correção: Anna Eliza Fürich

Clique na caixa abaixo para acessar as matérias anteriores

Qual a sua opinião sobre esta matéria?
Envie suas críticas e sugestões

Clique aqui

Deseja enviar esta página para um
"Velho Amigo"?

Clique Aqui