Logomarca Velhos Amigos
INFORMAÇÃO / DICAS DE BELEZA

A BELEZA NA TERCEIRA IDADE: DICAS E OPÇÕES DE TRATAMENTOS
publicado em: 12/05/2017 por: Lou Micaldas

 
Atualmente existem bons tratamentos e produtos com o objetivo de rejuvenescer e tornar a pele mais bonita
A pele na terceira idade nada mais é do que o reflexo dos hábitos de vida da pessoa até esse período. Pode-se ter uma aparência excelente, de idade indecifrável. Mas, se houve abuso de sol, álcool, cigarro etc., a pele poderá mostrar manchas, vermelhidão, opacidade e perda de elasticidade nesta fase.

De acordo com Carolina Marçon, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, os raios UVA e UVB emitidos pelo sol são os grandes inimigos da saúde da pele, independentemente da faixa etária. Assim se justifica o fato do uso do protetor solar ser tão importante durante toda a vida. “A radiação UVA danifica o colágeno e as fibras elásticas, levando a perda de sustentação e elasticidade e é a grande responsável pelo envelhecimento cutâneo. Já a radiação UVB, incidente principalmente das 10 às 16h, causa queimadura e aparecimento de manchas e é a principal responsável pelo câncer de pele”, explica.

Vilões que você deve manter longe da sua pele
Além dos efeitos nocivos do sol, outros fatores prejudicam a pele e podem ser decisivos para sua aparência quando se está na terceira idade: o cigarro, o álcool, a alimentação desequilibrada, a poluição, o frio, as diferenças de temperatura e o calor úmido. “O clima frio promove ressecamento e perda da hidratação natural da pele. O ar poluído pode obstruir os poros, proporcionando um aspecto grosseiro e opaco à pele. As substâncias tóxicas do cigarro causam destruição das fibras de colágeno e elastina, responsáveis pela elasticidade e firmeza da pele”, explica a dermatologista Carolina.

Cuidados com a pele na terceira idade
A boa notícia para todas as mulheres que já chegaram à terceira idade, é que atualmente existem bons tratamentos e ótimos produtos com o objetivo de rejuvenescer e tornar a pele mais bonita.

“Para quem deseja melhorar o aspecto da pele e demais sinais do envelhecimento, recomendam-se indicações individualizadas e que devem ser direcionadas de acordo com as características da pele de cada pessoa, bem como suas expectativas. Hoje existe uma gama de possibilidades para tratar o envelhecimento (veja mais abaixo). Sendo assim, é importante conhecer as particularidades de cada procedimento e sempre realizá-los de acordo com uma indicação médica e com profissionais qualificados”, diz a dermatologista Carolina.

Produtos e princípios ativos contra o envelhecimento
De acordo com a dermatologista, a substância mais conhecida e estudada para tratar o envelhecimento é o ácido retinóico, que é um derivado da vitamina A. “Este ativo promove várias ações na pele, como melhora da troca celular, da irrigação, das manchas e das fibras de colágeno. É considerado remédio. Por isso deve ser prescrito pelo médico”, explica.

Ainda de acordo com a profissional, existem outros derivados da vitamina A, também considerados medicamentos, que agem no envelhecimento cutâneo, como isotretinoína, adapaleno e o tazaroteno. “Cosméticos com retinol, que é a própria vitamina A, ou com retinoaldeído, que é um derivado dela, são mais fracos e menos irritantes, mas promovem melhora em alguns parâmetros do envelhecimento”, diz.

Os alfahidroxiácidos, como ácido glicólico, mandélico e lático, são muito utilizados em cosméticos, cosmecêuticos (produtos intermediários entre cosméticos e medicamentos) e medicamentos para o fotoenvelhecimento. “O mais conhecido é o glicólico, pois apresenta maior facilidade de penetração. Os alfa-hidroxiácidos são hidratantes, promovem clareamento da pele, mas seu efeito contra a flacidez é bastante controverso”, destaca Carolina.

Segundo a dermatologista, a vitamina C é um poderoso antioxidante e faz parte do sistema natural da pele para protegê-la em relação à agressão da luz solar. “Já a Vitamina C tópica em concentrações altas, de 5% a 10%, além da ação antioxidante, também é clareadora e participa na síntese do colágeno”, diz.

A vitamina E também é muito utilizada em cosméticos e cosmecêuticos, tendo ação antioxidante e hidratante. “Ela pode ser associada à vitamina C, havendo então uma potencialização de sua ação antioxidativa”, diz Carolina.

A seguir, a dermatologista Carolina apresenta ainda alguns princípios ativos contra o envelhecimento. “Mas vale lembrar que não existem quantidades suficientes de trabalhos científicos para aceitá-las sem qualquer restrição”, diz.

DMAE, ou deanol (dimetilaminoetanol): substância que existe no corpo humano (fígado, cérebro, coração) e que também é encontrado em peixes como a sardinha e a anchova. É um ativo antienvelhecimento que parece melhorar a flacidez, entre outros benefícios.

N6-furfuriladenina: estimulante celular que tem ação antienvelhecimento, melhorando as rugas e o tônus da pele.

Ácido alfalipoico: protege a membrana celular, o citoplasma e o núcleo da célula. Tem ação regeneradora sobre a viatamina C, vitamina E e glutationa, sendo também um antioxidante e anti-inflamatório. Seu uso é indicado para edema e bolsas oculares.

Isoflavonas: fitoestrógenos indicados para uso tópico em mulheres na menopausa. Combatem o processo natural de envelhecimento, compensando os danos ocasionados pela diminuição dos hormônios femininos. Melhoram o tônus e a hidratação da pele.

Raffermine: um agente potente extraído da soja. Atua fortalecendo a estrutura molecular da derme. Seus efeitos são aumentar a firmeza, a elasticidade e a tonicidade da pele.

Tensine: extraído da semente do trigo, é um agente que melhora a firmeza da pele. Possui propriedades hidratantes e é utilizado em compostos com “efeito Cinderela”, ou seja, quando utilizado em concentrações mais elevadas, promove estiramento da pele por aproximadamente seis horas.

Cobre: também tem sido incorporado a cosméticos devido a seu efeito estimulador da atividade dos fibroblastos e da produção de colágeno. Confere maior firmeza à pele, melhorando as rugas e a elasticidade.

A importância do protetor solar
O uso diário de protetor solar é fundamental, independentemente da idade, não só por uma questão estética, mas também pelo fato da radiação UVB ser a principal responsável pelo câncer de pele. Assim, continua sendo indispensável às mulheres que já completaram 60 anos.

“Tendo o cuidado de aplicar diariamente o fotoprotetor, evita-se o aparecimento de manchas, vasinhos e rugas. O ideal é que o produto seja aplicado pela manhã e reaplicado na hora do almoço e meio da tarde, para garantia de uma fotoproteção adequada”, explica a dermatologista Carolina. “A maquiagem pode ser aplicada sobre o protetor solar, pois atua como barreira física, também auxiliando na fotoproteção, além de dar uma aparência mais saudável”, acrescenta.

Segundo a dermatologista, o produto deve ser escolhido de acordo com o tipo de pele. “Em geral, para peles oleosas são recomendados os produtos em gel, gel creme ou loções oil free (sem óleo). Já quem sofre com a pele ressecada deve optar por loções mais cremosas. Além disso, há no mercado muitos cosméticos com tecnologias sofisticadas que aliam a proteção solar a substâncias hidratantes e antifotoenvelhecimento”, destaca.

Uma das coisas que diferencia um fotoprotetor de boa qualidade de um inferior é a proteção contra radiação ultravioleta A (UVA). “Os bons filtros têm fator de proteção contra UVA mais amplo, geralmente declarado na embalagem com as siglas PPD/IPD. O fator FPS está relacionado somente à proteção contra os raios UVB. No entanto, ainda não há consenso para classificar e denominar a proteção contra o UVA. O mais prático, é procurar nas embalagens a seguinte frase: proteção solar máxima UVA/UVB”, diz Carolina Marçon.

“O FPS sinaliza quantas vezes mais a pele receberá proteção extra após a aplicação do produto. O ideal é que seja usado um produto de pelo menos fator 30. Um fotoprotetor com FPS 15 protege a pele contra cerca de 92% da radiação UVB; o FPS 30, 96% e o 60, 98%”, acrescenta a dermatologista.

Tratamentos feitos em clínicas
Abaixo, a dermatologista Carolina cita alguns tratamentos que oferecem resultados eficazes no combate aos sinais do envelhecimento. Todos eles devem ser realizados em clínicas dermatológicas de confiança, que contem com profissionais capacitados. Vale resaltar que somente o médico poderá indicar o tratamento adequado a cada tipo de pele e para cada caso.

Peeling Químico: consiste na aplicação tópica de determinadas substâncias químicas capazes de provocar reações que vão desde uma leve descamação até necrose da derme, com remoção da pele em diferentes graus. Isso significa que haverá descamação e troca da pele, atuando no tratamento de manchas, acne e envelhecimento cutâneo.

“Quando bem indicado o peeling pode promover resultados excepcionais, principalmente no fotoenvelhecimento. Ele deve ser realizado, preferencialmente, no inverno, para que o excesso de sol não atrapalhe a recuperação da pele”, explica a dermatologista Carolina.

Preenchimento: existem várias indicações para o preenchimento cutâneo, tais como rugas de repouso, sulcos da pele, delineamento dos lábios, aumento do volume dos lábios, cicatrizes de acne e cicatrizes em geral.

“Esse procedimento preconiza a introdução de uma substância compatível com a pele no local a ser tratado. Esta substância irá ‘preencher’ o local, provocando um levantamento parcial e também estimular as fibras preexistentes. A duração do resultado dependerá da substância que for utilizada, pois existem materiais permanentes e não permanentes”, explica a dermatologista Carolina.

Toxina Botulínica: seu uso para o tratamento de rugas tornou-se muito popular nos últimos anos.

“Ela é produzida pela bactéria Clostridium botulinum e provoca relaxamento muscular por meio da inibição de uma substância química chamada acetilcolina, na junção entre o nervo e o músculo (placa neuromuscular). Trata-se de um procedimento seguro, desde que seja aplicada por um profissional capacitado, pois a dose necessária para causar efeitos tóxicos precisa ser mil vezes maior do que a usada habitualmente num procedimento cosmético. A ação da toxina é localizada, provocando paralisia muscular que permanece de dois a seis meses. Após esse período, o músculo é capaz de formar novas placas (neurogênese), voltando à sua contração normal”, explica a dermatologista.

Laser: tornou-se umas das técnicas mais modernas no tratamento das rugas faciais, removendo os tecidos envelhecidos com mínima lesão.
“Os lasers utilizados são o de CO2 e de Erbium, sendo o CO2 mais indicado para suavizar rugas profundas, cicatrizes e sequelas de acne. Ele tem atração pela água, assim, quando incide na pele, vaporiza a água no interior das células, causando sua destruição pelo aquecimento. O tratamento provoca uma reação inflamatória, levando a uma reorganização das fibras elásticas e estimulando a produção de colágeno”, explica Carolina Marçon.

“Já o laser Erbium penetra cerca de 10 vezes menos que o CO2, sendo indicado para rugas finas e médias, pois causa dano térmico menor e consequentemente menor vermelhidão”, acrescenta a dermatologista.

Limpeza de pele: o profissional analisará o tipo de pele e sua adequação aos cosméticos e princípios ativos a serem utilizados, para definir qual o melhor tipo de limpeza a ser realizada, como, por exemplo, esfoliação, assepsia, extração etc.

Cuidados com os cabelos

 
Carolina Marçon destaca, em primeiro lugar, que a queda de alguns fios ao lavar ou pentear os cabelos é normal. “Perdemos cerca de 100 fios por dia. É preciso, sim, prestar atenção quando houver aumento significativo da quantidade de fios que caem. Nesse caso, a indicação é procurar um dermatologista”, diz, dando a dica a todas as mulheres, independentemente da idade.

Colorir os cabelos é uma das mudanças visuais mais praticadas pelas mulheres, inclusive pelas da terceira idade. “Com mais tinturas sofisticadas e de melhor qualidade à mão, praticamente não há risco de ocorrer queda em função desse procedimento. Existem duas técnicas básicas para colorir os fios: tintura temporária e permanente. Na primeira, usa-se tonalizante – um tipo de xampu, indicado para realçar o tom natural do cabelo e esconder os fios brancos. Essa tintura, dura em média 20 lavagens e não possui produtos em sua formulação que abram as escamas do cabelo”, diz a dermatologista.

“Já a tintura permanente é a que, em geral, tem amônia e água oxigenada na fórmula para que possa alterar a cor original do fio. Como tem duração mais longa e é mais agressiva, deve ser sempre aplicada por um profissional”, acrescenta Carolina Marçon.

Abaixo, a dermatologista Carolina destaca outras dicas para os cuidados com os cabelos:
Use sempre xampu e condicionador adequados ao seu tipo de cabelo: oleoso, normal, seco, misto, colorido etc.

Não use xampu demais, nem o coloque diretamente sobre a cabeça. Espalhe-o nas mãos e só depois o esfregue nos fios e no couro cabeludo, com a ponta dos dedos (nunca com as unhas). O excesso do produto pode provocar irritação, enfraquecimento da raiz, descamação e até queda.

Enxágue bem os cabelos para retirar o excesso de xampus e condicionadores e use um xampu anti-resíduos uma vez por semana. O produto elimina impurezas e os resíduos de produtos cosméticos que se depositam nos fios, roubando o brilho.

Nunca tome banho de água quente, pois ela abre as cutículas do fio. Prefira água morna ou fria. Se puder, dê a última enxaguada com água fria. A água fria ajuda a fechar as cutículas e devolve o brilho dos cabelos.

Depois de lavar os cabelos, utilize um produto leave-in que intensifica o tratamento dos produtos hidratantes.

Antes de usar o secador retirar o excesso de água com uma toalha, apenas espremendo os fios. Depois trabalhe com o secador a uns 15 centímetros dos fios, em temperatura mínima ou média. Produtos específicos para proteger o cabelo do calor também ajudam evitar que os fios fiquem quebradiços.

Para proteger os cabelos dos danos causados pelo calor do secador, permita, sempre que possível, que os fios sequem naturalmente.

Quando utilizar o secador, evite a configuração de maior aquecimento. Inicie com uma temperatura mais baixa e aumente gradativamente.

Evite ar condicionado, pois ele deixa o cabelo ressecado e, consequentemente, mais frágil, retirando o brilho natural. Para formar uma barreira de proteção aos fios, aplique algumas gotinhas de silicone que ajuda também a selar as pontas duplas.

Evite passar as mãos nos cabelos constantemente, principalmente nos oleosos.

A alimentação é um fator muito importante para manter a beleza dos fios. Procure comer alimentos proteicos – como carnes, leite e ovos – e os ricos em vitaminas do complexo B (presentes em cereais integrais, peixes, frutos do mar e vegetais folhosos), pois eles ajudam a nutrir o couro cabeludo.

Proteja os cabelos do sol. Use chapéu e mantenha-os hidratados.

Nos últimos anos, surgiram novas formas para alisar o cabelo, como a escova progressiva e suas variantes. Produtos alisantes registrados na Anvisa não oferecem riscos à saúde. Mas muitos salões de beleza acrescentam formol a seus preparados. O formol é tóxico, pode causar irritação nas mucosas e, dependendo da quantidade, acaba sendo absorvido pelo organismo e causa sérios problemas. Por isso, se certifique de que o salão de beleza que você frequenta é de confiança.

Cuidados com a maquiagem
 

A dica aqui vale para todas as mulheres, independentemente da idade: “a alergia à maquiagem pode ser causada por vários componentes presentes nas fórmulas dos produtos, como o óxido de ferro (também conhecido como pó de alumínio), responsável por dar cor; os conservantes que, como o próprio nome já diz, fazem os produtos durarem mais tempo, ou até mesmo pelas fragrâncias que alguns possuem. Nesse caso, se for possível identificar a substância causadora da reação, suspender o uso e procurar por produtos que não as contenham é a solução”, diz a dermatologista Carolina.

Ainda de acordo com a profissional, as alergias a maquiagens tendem a ser hereditárias, mas isso não significa que as mulheres longe deste perfil estejam imunes às reações da pele. “Uma maneira de descobrir se a pele apresenta ou não reação alérgica a maquiagens é passar um pouco do produto atrás da orelha – perto do pescoço -, deixar algumas horas e observar se o local fica avermelhado ou se coça”, diz.

A dermatologista destaca que a sensibilização pode ocorrer ao longo da vida e a alergia pode se manifestar em qualquer momento, independentemente da idade. “O indivíduo pode usar durante muito tempo um determinado produto e não apresentar reação alguma, até que em um certo momento, após ter ocorrido sensibilização do sistema imunológico, aparece a reação alérgica. Portanto, quanto mais produtos forem utilizados ao longo da vida, principalmente os de qualidade duvidosa, maior é a possibilidade do desenvolvimento de alergia. Maquiagens com prazo de validade vencido também podem desencadear alergias, por isso jogue-as imediatamente no lixo”, explica.

“Produtos hipoalergênicos de marcas consagradas e por recomendação de dermatologistas são seguros e podem ser utilizados inclusive por mulheres que apresentam reações alérgicas. O ideal é evitar maquiagem muito barata e de marcas desconhecidas. Produtos de qualidade e que são testados dermatologicamente apresentam um custo mais elevado, mas podem livrar o paciente de problemas futuros e gastos adicionais com tratamentos”, acrescenta a dermatologista Carolina.

Cuidados com a alimentação
 
 
A alimentação da pessoa também está intimamente ligada à sua beleza. A dermatologista Carolina destaca que muitos nutrientes são fundamentais para o crescimento e saúde dos cabelos e unhas. E, também por esse motivo, devem fazer parte da dieta da mulher da terceira idade.

Abaixo, a profissional cita alguns desses nutrientes:
Vitamina A: regula a produção sebácea, controlando a oleosidade do couro cabeludo, evita que as células se degenerem por causa da oxidação e exerce controle sobre a multiplicação celular, propiciando maior elasticidade aos fios. Mas cuidado! Em excesso, a vitamina A pode ser causa de queda.

Vitamina B2: favorece o metabolismo das gorduras, açúcares e proteínas, sendo essencial para o crescimento do cabelo.

Vitamina B5: importante no combate à queda do cabelo, ao mesmo tempo que fortalece seu crescimento.

Vitamina B6: exerce sua ação na síntese da queratina, sendo fundamental para a saúde das unhas e cabelo.

Ferro: sua carência é muitas vezes responsável pela queda de cabelo nas mulheres que, através do sangramento menstrual, acabam perdendo o nutriente e normalmente não fazem reposição adequada pela alimentação. Manter a ferritina (reserva de ferro) em níveis adequados, é fundamental para evitar a queda de cabelo.

Zinco: é fundamental para a saúde dos cabelos e unhas, já que participa da sínteses de proteínas e está envolvido com o crescimento e multiplicação celular.

A dermatologista destaca que, investir em um bom creme ou em um tratamento estético de última geração pode ajudar a recuperar a firmeza, a maciez e a luminosidade da pele. Mas todas essas estratégias farão pouquíssima diferença se a alimentação, no dia a dia, não der conta de suprir o organismo da matéria- prima de que precisa para recuperar a pele (maior órgão do corpo humano) das agressões externas, combater os radicais livres que aceleram o envelhecimento e produzir colágeno, substância que dá sustentação ao tecido cutâneo. “Uma dieta equilibrada fornece os nutrientes necessários às nossas células que, por sua vez, realizarão os processos fundamentais para garantir a saúde e o viço da pele”, diz.

Carolina Marçon acrescenta que existem várias pesquisas apontando os benefícios de frutas e vegetais na proteção e na restauração da pele. “Por isso, inclua no prato alimentos com vitaminas A e C e terá a recompensa estampada no rosto! Com poder antioxidante, elas neutralizam os efeitos nocivos do meio ambiente, como a poluição, a radiação ultravioleta, cigarro etc.”, explica. “Os melhores alimentos para isso são as folhas verdes, melão-cantalupo, frutas cítricas, mirtilo, morango e pimentão”, acrescenta.

Com todas essas informações, reforça-se a ideia de que é sempre possível se sentir bem com a sua aparência, independentemente da idade que se tenha. E o primeiro passo para isso é seguir, no dia a dia, uma alimentação saudável e manter bons hábitos de vida. E, se necessário, buscar a ajuda de profissionais de confiança que indicarão os melhores cuidados e tratamentos para alcançar seus objetivos de beleza!

Autor(a): Carolina Marçon - Dermatologista
Fonte: https://www.dicasdemulher.com.br/a-beleza-na-terceira-idade-dicas-e-opcoes-de-tratamentos/

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA