Logomarca Velhos Amigos
INTERAÇÃO / E AÍ, BICHO?

COMO PREVENIR CÃES E GATOS DO CÂNCER DE MAMA
publicado em: 14/10/2019 por: Lou Micaldas

Outubro Rosa levanta debate e mercado alerta sobre a importância do check up também nas cadelas e gatas.

Em outubro diversas ações acontecem em torno do tema do câncer de mama, para divulgar a importância da prevenção e da acolhida às pacientes. Acontece que as pets também são acometidas pela doença, principalmente as cadelas. Brana Bonder, Supervisora de Assuntos Veterinários da Hill's Pet Nutrition levanta alguns pontos para ajudar os cuidadores na prevenção:

O QUE É

Os hormônios sexuais femininos estimulam o crescimento do tecido mamário e podem eventualmente resultar em uma proliferação descontrolada de células, chamada de neoplasia. Esses hormônios sexuais estão presentes em todos os períodos reprodutivos das fêmeas, fazendo-as cada vez mais suscetíveis às lesões neoplásicas ao longo do tempo. Justamente por isso é importante a castração de fêmeas antes de completarem 2 anos e meio.

SINTOMAS

Os cuidadores devem ficar atentos a sinais como nódulos em torno das mamas. Manifestam-se também sintomas como secreção e ulceração da pele da mama, dor, inchaço, perda de apetite, perda de peso e fraqueza generalizada.

FATORES RISCO

Os fatores de risco podem ser considerados como idade, sexo, raça, predisposição genética e exposição hormonal. Em cadelas o câncer de mama é mais frequente entre 8 a 10 anos e nas gatas entre 10 a 12 anos. Cadelas de raças definidas são mais susceptíveis a apresentar tumores nas mamas, especialmente em raças Poodle, Cocker Spaniel, Pastor Alemão, Maltês, Yorkshire Terrier e Dachshund. Em gatas, ocorre normalmente em Siamês.

Existe uma crescente evidência de que o tumor de mama está diretamente ligado à ação hormonal, fato que reflete na incidência desse em cadelas e gatas castradas e não castradas. Cadelas que são castradas antes do primeiro cio apresentam risco de 0,5% de desenvolverem o câncer de mama, enquanto que as castradas antes do segundo cio 8%, e após o segundo estro e antes de completarem 2,5 anos, 26%; a proteção conferida pela castração desaparece quando essa é feita após os 2,5 anos de idade. Em relação as gatas, a castração antes dos 6 meses diminuem em 7 vezes o risco de desenvolver o câncer de mama e a realização desse procedimento em qualquer idade reduz o risco em 40 a 60%.

PREVENÇÃO

O tutor deve levar seus pets ao veterinário, pelo menos uma vez ao ano para exames de rotina. A detecção precoce de alterações no organismo do animal pode melhorar significativamente o prognóstico. Os tratamentos são cirúrgicos, tanto para a remoção do tumor e de possíveis metástases, quanto para a realização da castração - a quimioterapia também pode ser indicada em alguns casos.

ALIMENTAÇÃO

É preciso atentar-se a alimentação do animal e ao fato de que um dos fatores de risco para o câncer de mama em mulheres, cadelas e gatas é a obesidade. Um dos componentes cruciais que muitas vezes não é levado em consideração pelos tutores de pets e que pode dar origem à obesidade é a falta de controle da quantidade diária de alimento que é oferecida a esses animais de companhia. O tutor deve pesar o alimento para garantir que a quantidade estipulada pelo veterinário ou pelo rótulo do alimento, de acordo com o peso e nível de atividade do animal, esteja sendo seguida corretamente, evitando o excesso da oferta do alimento. A ração deve ser de alta qualidade e balanceada para atender todas as necessidades nutricionais do animal, garantindo uma vida saudável. Dessa forma, controlar a quantidade de alimento que os pets recebem, os petiscos e fazer com que eles se exercitem são importantes ferramentas no combate à obesidade e em doenças como câncer de mama.

Fonte: Site Terra
Colaborador(a): Simone Batista Castro

 

CLIQUE AQUI PARA ENVIAR SUA OPINIÃO SOBRE ESTA MATÉRIA

 

 

 

 

 


VOLTAR
AO TOPO DA
PÁGINA